Uma frase...

Sessenta por cento de todos os problemas administrativos resultam de ineficácia na comunicação.

Peter Drucker


23 de nov de 2010

As 8 atitudes de sucesso!

Crescimento profissional é objetivo mais que almejado nas corporações. Para destacar-se no ambiente de trabalho o profissional deve ter competências que garantam esse destaque e tornem-se em caminho de sucesso.
1- COMUNICAÇÃO - Fale claramente e em bom tom!
2- SIGNIFICADO - Dê um significado ao seu trabalho, não trabalhe apenas por necessidade, isso é motivador no ambiente que o rodeia!
3- PODER DE ANÁLISE - Capacidade de leitura das pessoas, ambientes e situações.
4- DIDÁTICA - Compartilhe conhecimentos!
5- CONEXÃO - Em tempos globais, ligar-se com o que ocorre no mundo é essencial. Vivenciar situações diferentes traz experiência para futuras resoluções de problemas e oportunidades.
6- OTIMISMO - Pensar positivo é importante par a solução de problemas!
7- ALTA ENERGIA - Disposição para o trabalho, motivação, energia gera energia, contagia!
8- ENGAJAMENTO - Ter crença nos próprios objetivos é essencial para motivar o grupo!

Fonte - VOCÊ S.A.. As 8 atitudes de sucesso. Edição 149. Nov 2010.

10 Mandamentos do Líder

http://www.youtube.com/watch?v=L_HQO4iSjVA&feature=related

Vídeo - SUCESSO!

http://www.youtube.com/watch?v=9IzKqXJiMEQ&NR=1

18 de out de 2010

Educação Corporativa

A educação corporativa pode ser entendida como um conjunto harmonioso e estrategicamente planeado de programas de formação que visam desenvolver, nos colaboradores de uma organização, conhecimentos, habilidades e competências que se encontrem alinhados com os objectivos estratégicos da organização tornando-a mais competitiva.

Diante da cada vez mais acirrada concorrência entre as organizações, planejar estrategicamente a formação dos colaboradores é uma tarefa para ontem. Hoje em dia as necessidades das empresas focam em objetivos específicos, intrínsecos à realidade daquela empresa e daquele produto ou serviço motivo pelo qual a empresa existe. Assim, é cada vez maior a procura das empresas por parcerias com Universidades, para a promoção de cursos de aprimoramento dos colaboradores em conhecimentos e competências necessárias aos objetivos da organização, contando com a experiência na didática para os temas a serem abordados nesses cursos.

Há também os programas de formação dentro das próprias empresas, dirigidos pelos próprios colegas mais experientes em temas específicos, e esses programas acabam sendo até mais facilitados para os colaboradores, pois participam dentro do espaço da própria organização, sem necessidade de deslocamento; além disso, aprender com colegas torna o aprendizado mais informal e próximo, possibilitando também ao colega que passa seus conhecimentos uma atividade prazerosa e, às vezes, de reconhecimento pela empresa e colegas.

Fonte: Educação Corporativa. Disponível em: http://www.ufp.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=93&Itemid=109. Acesso em 18 Out, 2010.

22 de ago de 2010

A busca por emprego agora é online!



Você deve lembrar daquela época em que os profissionais que não tinham emprego saiam toda a segunda-feira para procurar por um. Fazer entrevistas, participar de seleções, treinamentos, enfim. Gastava-se o dia todo participando de todos esses processos, às vezes, as entrevistas eram marcadas para um outro dia em função do número de candidatos. Além do tempo, gastava-se muito dinheiro, pois pagar a passagem (para quem utiliza transporte público) ou a gasolina (para quem possui veículo próprio) não é nada fácil.
Hoje em dia, está tudo mais fácil, pois as vagas acham você online, é sim, ONLINE!!! A internet é uma valiosa ferramenta nos dias atuais, e para esse processo de procura por empregos ela está sendo utilizada cada vez mais pelos profissionais, que acabam com mais tempo para qualificação em cursos, etc...
Dentre as empresas que dispõem de site para esse serviço de procura por empregos estão a www.vagas.com.br e a www.vagas.catho.com.br, esses são alguns dos muitos que oferecem esse serviço de agência de empregos online, vamos dizer assim... E não são só os candidatos que procuram oportunidades não, há muitas empresas que cadastram-se nesses sites para visualizarem o banco de dados de currículos dos profissionais!! E isso é muito motivador!! Você pode apenas cadastrar seu currículo lá e, a qualquer hora, podem estar entrando em contato com você!!!
Além desses sites próprios para busca de empregos e profissionais, atualmente você pode deixar seu currículo diretamente nos sites das empresas as quais você tenha interesse em trabalhar. É difícil as médias e grandes empresas não oportunizarem em seus sites um espaço como o conhecido trabalhe conosco!
Concluindo, está muito mais fácil buscar uma oportunidade no mercado de trabalho atualmente hein! Não há mais tanta necessidade de passar horas e horas preenchendo fichas de empresa em empresa, bancando os custos necessários para tal. Você fica com muito mais tempo - e este está valendo ouro nesse contexto acelerado em que vivemos - para você, seja para aperfeiçoamento profissional ou para o planejamento de busca pelas vagas na rede!! Não perca tempo! As oportunidades estão aí! Boa busca!!

17 de jul de 2010

Cartéis


Cartel é um acordo explícito ou implícito entre concorrentes para, principalmente, fixação de preços ou cotas de produção, divisão de clientes e de mercados de atuação ou, por meio da ação coordenada entre os participantes, eliminar a concorrência e aumentar os preços dos produtos, obtendo maiores lucros, em prejuízo do bem-estar do consumidor.

No Brasil, a formação de cartel é considerada crime. Cartéis prejudicam a livre concorrência entre as empresas. A política brasileira de defesa da concorrência é disciplinada pela Lei nº 8.884, de 11 de junho de 1994.

Alguns exemplos de cartéis são - Cartel das vitaminas, gasolina, brita, cimento, honorários médicos, etc.

O dia 8 de outubro foi instituído por Decreto Presidencial como sendo o Dia Nacional do Combate a Cartéis.

Foi criada há alguns anos a Cartilha Combate a Cartéis e Programa de Leniência, programa esse que ameniza a pena para quem colabora com as autoridades, fornecendo informações sobre cartéis.
Para acessar a cartilha-
www.mj.gov.br/sde ou http://www.comprasnet.gov.br/noticias/Cartilha_Carteis.pdf



Fontes acessadas em 17 Jul, 2010.
- http://pt.wikipedia.org/wiki/Cartel
- www.mj.gov.br/sde
- http://www.comprasnet.gov.br/noticias/Cartilha_Carteis.pdf

8 de jul de 2010

Networking!



Networking é a união dos termos em inglês "Net", que significa "Rede"; e "Working", que é "Trabalhando". O termo, em sua forma resumida, significa que quanto maior for a rede de contatos de uma pessoa, maior será a possibilidade dessa pessoa conseguir uma boa colocação profissional.

Por exemplo: Existem reuniões, almoços e confraternizações com funcionários de várias empresas; lá eles se conhecem, trocam experiências e montam sua lista de contatos.

É imprescindível mantermos sempre em contato com as pessoas, uma boa rede de contatos, sejam eles profissionais ou não, deixa você sempre na vitrine, você é visto, é notado! E isso é muito importante! Precisamos estar sempre em busca de crescimento, de oportunidades, e se a sua rede de contatos é vantajosa proffisionalmente, melhor.

Fonte
- WIKIPÉDIA. NETWORKING. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Networking. Acesso em 08 Jul, 2010.
- VOCÊ S.A. NETWORKING. Disponível em http://vocesa.abril.com.br/. Acesso em 08 Jul, 2010.

15 de jun de 2010

O líder

Todo líder deve desenvolver profissionais melhores do que ele. Você concorda com esse ponto de vista?
Sim. Concordo plenamente com essa afirmativa, pois o líder deve investir nas pessoas, pois sem elas a organização não vive, as pessoas são parte da organização, mais do que isso - as pessoas são a organização. O bom líder acredita nas pessoas e as incentiva, as motiva, as desenvolve, as orienta sempre para melhor. Um líder deve identificar nas pessoas o que elas têm de melhor e investir nesses pontos, pois cada pessoa tem um diferencial, um dom, algo com que mais se identifica, e é assim que se descobrem e desenvolvem os bons profissionais. Um líder que sabe identificar em cada funcionário as suas potencialidades terá já um bom começo para encaminhá-lo para atuar naquilo que ele faz melhor. A partir daí, a organização só tem a ganhar, pois se cada um fizer o que gosta e o que lhe traz satisfação e confiança, todo o clima organizacional melhora, a produtividade melhora e os stakeholders colhem os frutos de toda essa melhoria.
Enfim, o líder deve concentrar seus esforços na sua equipe de trabalho, analisando e orientando as pessoas para o crescimento da equipe e de cada pessoa.

Fonte - DRUMMOND JÚNIOR, José. O nosso jeito de formar líderes.Revista Você S.A. Edição 143-2010, pg.106.

13 de jun de 2010

Oportunidades gratuitas!


Há oportunidades de cursos EAD pelo Programa Federal UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL! São muitos cursos gratuitos à distância em regime de convênio entre universidades federais e Municípios, onde estabelecem-se os pólos. Na área de administração, por exemplo, há cursos de Especialização em Gestão Pública e Gestão Pública Municipal. Acesse o site da UAB e confira!

1 de jun de 2010

GESTÃO DE PROJETOS - EAP e Ciclo de Vida do Projeto


Na Gestão de Projetos faz-se necessário a criação de um escopo para cada projeto que deseja-se aplicar na organização, a fim de que o projeto alcance realmente seu objetivo final e conclua-se com sucesso. Para isso, há a necessidade de criar-se, primeiramente, a EAP do Projeto.
O que é EAP? Estrutura Analítica do Projeto. Isso nada mais é do que a decomposição das partes do projeto. Um exemplo simples pode dar-se da seguinte forma:
- Um projeto de pintura de uma sala é composta por quatro partes - Preparação de Materiais, Preparação da Sala, Pintura da Sala e Limpeza da Sala - e cada uma dessas partes será decomposta em sub-partes, como por exemplo na Preparação de Materiais onde teremos as seguintes sub-partes - Compra de pincéis, Compra de Tinta, Compra de rolos.
A Gestão de Projetos aborda a importância do Ciclo de Vida do Projeto, que é o conjunto de fases do projeto, onde cada fase tem um conjunto de metas a serem seguidas e concluídas para a execução da fase seguinte, assegurando que os trabalhos sejam desenvolvidos progressivamente do início ao fim.

Fonte
- FGV.Ciclo de Vida de Projetos Industriais .Disponível em: http://www5.fgv.br/fgvonline/ocw/OCWGPJEAD/index2.htm?cpf=99547244000&prod_cd=OCWGPJEAD_00_01/2009_1. Acesso em 01 Jun, 2010.
- WIKIPEDIA. EAP. Disponível em:http://pt.wikipedia.org/wiki/Estrutura_anal%C3%ADtica_do_projeto. Acesso em 01 Jun, 2010.

25 de abr de 2010

Você anda motivado?


O que nos motiva no trabalho? Você já deve ter pensado sobre isso.A verdade é que diariamente precisamos de algo que nos motive, seja no trabalho ou na vida pessoal. A motivação vem de várias coisas, e é, também, incentivada de maneira diferente em cada pessoa.
A motivação no trabalho nos faz render mais, produzir melhor, vestir a camiseta da organização. Por isso, um trabalho de motivação para funcionários é imprescindível nas atuais organizações, ainda mais nos tempos de forte concorrência em que estamos passando.
A motivação para um colaborador pode surgir a partir do momento em que ele se sente valorizado na empresa, quando o seu chefe lhe dá elogios quando realiza bem uma tarefa... A motivação também parte da satisfação do colaborador em seu ambiente de trabalho, quando a Qualidade de Vida no Trabalho é boa, quando a remuneração está de acordo com as tarefas que se realiza, quando os benefícios concedidos pela empresa suprem as necessidades, quando a empresa propicia momentos de lazer entre os funcionários, enfim. O colaborador é diariamente motivado por algo, um sentimento, um valor, às vezes, um simples programa de integração de pessoas, dinâmicas de motivação e outros, dão um toque de ânimo no clima organizacional.
Portanto, é importante o investimento em programas que motivem o quadro de pessoal, afinal, as pessoas são as jóias da empresa, as pessoas que se sentirem bem na empresa, com certeza retribuirão com trabalho e todos sairão ganhando - Empresa, Colaborador, Acionistas, Clientes, Fornecedores, enfim, todos os stakeholders.

29 de mar de 2010

Pirâmide do Planejamento


Dentro do Planejamento Organizacional, encontramos os níveis Estratégico, Tático e Operacional. No Planejamento Estratégico aborda-se a empresa como um todo, ao passo que no Planejamento Tático aborda-se cada unidade de trabalho e, no Planejamento Operacional, aborda-se cada tarefa ou função separadamente.O Planejamento Tático é desenvolvido em níveis organizacionais inferiores (departamental ou gerencial) a partir de diretrizes já traçadas no Planejamento Estratégico da empresa, este já predeterminado. O Planejamento Operacional ocorre no nível operacional da organização, como o próprio nome diz, por exemplo: dentro do planejamento da produção há os planejamentos de abastecimento, de manutenção, etc. É importante ressaltar que todos esses processos unem-se pelos objetivos comuns que são os objetivos organizacionais.
Fonte: http://www.valentim.pro.br/Slides/Planejamento/Planejamento_Tatico_Operacional.ppt#266,19,Slide 19 Acesso em 29 Mar, 2010.

28 de mar de 2010

Gestão de Cargos e Salários


Toda empresa precisa definir o plano de cargos e salários para o quadro funcional. Os salários deverão estar de acordo com o grau de dificuldade e comprometimento das atividades realizadas em cada cargo, mas também deve-se manter um parâmetro salarial que esteja de acordo com o mercado, ou seja, de acordo com a faixa salarial de outras organizações. Para tanto, o gestor necessita estar atento às mudanças do mercado e às necessidades dos recursos humanos, suas expectativas, as tarefas desenvolvidas por cada cargo, etc. O principal objetivo da Gestão de Cargos e Salários é reconhecer a capacitação profissional e o desempenho dos funcionários, levando sempre em conta a situação econômica, o desempenho e os resultados da empresa. Assim sendo, faz-se necessário um sistema de remuneração a ser seguido, como por exemplo, a definição dos salários para novos cargos, as alterações de salários (fim de período de experiência, por promoção vertical - promoção para cargo superior - ou promoção horizontal - merecimento - , transferência para outro cargo ou reclassificação do cargo). É, da mesma maneira, imprescindível observar-se um conjunto de aspectos a serem levados em consideração quando da promoção de um funcionário, tais como a disciplina, pontualidade, assiduidade, comprometimento, responsabilidade, disposição, apresentação pessoal, liderança, organização, conhecimento, aperfeiçoamento, qualificação, entre outros.

27 de mar de 2010

Avaliação de Desempenho


A Avaliação de Desempenho visa um comprometimento empregado x empresa, pois avalia-se o resultado obtido x resultado esperado em relação aos objetivos que a empresa busca. A Avaliação do Desempenho do empregado no trabalho deve vislumbrar vários indicadores e que estão relacionados com o esforço individual de cada colaborador. Atualmente existem várias técnicas para levantamento de informações a respeito do desempenho dos funcionários em suas atividades profissionais, mas todos eles devem ser bem estruturados para que todos os interessados saiam ganhando. A Avaliação de Desempenho quando bem planejada traz muitos benefícios pois ela reflete no Desempenho Organizacional, os avaliadores obtêm melhorias no desempenho de sua equipe na medida em que os erros são corrigidos instantaneamente, o avaliado torna-se motivado por perceber que está alcançando os objetivos esperados e busca melhorar seu desempenho se não alcançou alguma meta, a equipe de trabalho trabalhará em busca da excelência, a empresa sairá ganhando pois a Avaliação de Desempenho deixa mais claro para os colaboradores os objetivos organizacionais. O feedback proporcionará retorno do trabalho ao funcionário e servirá como um guia para ações futuras.
A Avaliação de Desempenho também contribui em outros aspectos como no recrutamento interno, pois auxilia na identificação de talentos para vagas que virem a existir na empresa. Outro ponto importante é a melhoria de qualidade dos produtos e serviços proporcionada a partir do momento em que todos buscam os mesmos resultados. Há também que se levar em conta os ganhos dos colaboradores, pois o objetivo principal da Gestão de Desempenho é o aprimoramento profissional.

26 de mar de 2010

Comunicação Interpessoal


Comunicação Interpessoal é fazer saber, tornar comum algum assunto entre as pessoas. Levando em conta a atual Globalização precisamos de sistemas de comunicação cada vez mais ágeis, claros, eficazes. Em uma organização é imprescindível a boa interação e comunicação entre gestores e subordinados sobre os mais diversos assuntos que referem-se à empresa: reuniões, acordos, regras, festas, decisões, objetivos, etc. Um sistema de comunicação ineficaz pode comprometer o bom andamento dos processos. As informações na empresa precisam circular entre as pessoas, por isso o nome comunicação interpessoal.
Sabemos que é difícil adotar um sistema perfeito de comunicação nas empresas, a maioria deles admitem falhas, mas precisamos sempre inovar e buscar por meios que possibilitem uma boa circulação de idéias entre todos os interessados, se a comunicação interna na empresa andar bem, pois a partir daí a comunicação interpessoal andará bem, todos trabalharão melhor, pois todos estarão sabendo de tudo ao mesmo tempo.

25 de mar de 2010

Inteligência Emocional no Trabalho

Administrar emoções não é uma tarefa fácil, porém precisamos aprender. Comportamentos partem de pensamentos que partem de emoções, se aprendermos a lidar com as nossas emoções no trabalho, com certeza teremos um comportamento mais assertivo. As emoções básicas são: o medo, a tristeza, a raiva e a alegria - a inteligência emocional ocorre quanto nós percebemos estas emoções, quando detectamos e dominamos estas emoções, pois qualquer dessas emoções podem levar a resultados positivos ou negativos.

23 de mar de 2010

Facilitadores de reuniões


Visando reuniões produtivas e eficazes, as empresas estão apostando agora em Facilitadores de Reuniões! É isso mesmo. O facilitador de reunião é uma pessoa que conduz os trabalhos na reunião para que os objetivos dessa sejam alcançados com sucesso, esse mediador conduz o grupo a pensar junto e chegar a um consenso. Assim, as reuniões improdutivas deixam de existir, pois o foco de debate é mantido, as pessoas chegam ao encontro sabendo da pauta e saem de lá com atividades definidas. Há algumas dicas de planejamento de reuniões utilizadas pelos facilitadores de reuniões - Prepare o encontro providenciando os materiais necessários para tal, conduza a reunião de maneira que o tempo seja respeitado, saiba controlar os falantes, estimule os tímidos, tenha paciência para escutar os outros e saiba rebater as idéias de maneira a focar somente nas idéias mais relevantes, envie relatórios por e-mail com o resumo da reunião para todos os participantes, assim como as conclusões do grupo!

Mudanças Constantes


Antes era possível planejar a carreira pra toda a vida, ou quase toda. Hoje, porém, isso não é mais possível, o mercado de trabalho muda constantemente, dia a dia, e com rapidez invejável! Atualizar-se e mudar é preciso! Um exemplo é que antes planejava-se uma única carreira, hoje em dia é mais do que comum mudar de emprego, de empresa, de cargo, enfim... Não faz mais sentido fazer planos a longo prazo, os ciclos de carreira são curtos, assim como as exigências de mercado, a todo dia surgem novos cargos e oportunidades no mercado e precisamos estar atentos! Planejar sim, mas planejar constantemente enxergando as mudanças!

Era Twitter


A era Twitter tomou conta também do mercado de trabalho! Atualmente muitas empresas anunciam no Twitter suas vagas, ao mesmo tempo, os twiteiros de plantão candidatam-se às oportunidades e assim por diante! É importante que existam ferramentas tão eficazes no mercado que facilitem essa necessidade de troca de informações, cada vez mais dinâmicas! No twitter há a possibilidade de troca instantânea, o que proporciona às empresas captar talentos em tempo real. Os usuários dessa ferramenta podem ser seguidores de empresas e outros, assim elas sabem o que está se passando com os estabelecimentos a que seguem, pois troca-se tweets (textos de até 140 caracteres) sobre os mais diversos assuntos, e por que não trocar tweets sobre empregos, vagas, currículos, etc? É imprescindível que, nos dias atuais, as pessoas atualizem-se no que há de novo, ter um comportamento proativo é fundamental para acompanhar as tendências e estar sempre na vitrine! Quem ainda não tem twitter está literalmente perdendo oportunidades!! Atualize-se!!

18 de fev de 2010

Responsabilidade Social - Interna e Externa




a)Responsabilidade Social Interna
A empresa tem como objetivo fazer acontecer o negócio da empresa, e se o ambiente de trabalho é satisfatório, é comum que os resultados sejam melhores. Criar um bom ambiente de trabalho dentro da empresa é uma responsabilidade da empresa, a responsabilidade social interna.
Debastiani e Bitarello (2005) afirmam que uma empresa socialmente responsável caracteriza-se como tal não somente sendo ética e dando condições de trabalho, mas também criando condições internas de satisfação e realização profissional dos colaboradores.
A Responsabilidade Social Interna consiste em proporcionar um bom ambiente de trabalho, motivando os colaboradores para a produtividade e contribuindo para o bem estar da coletividade. São muitas as maneiras de se desenvolver um bom clima na empresa, exemplos disso são os programas de benefícios sociais, vale alimentação e transporte, assistência médica e social, qualificação, participação nos lucros. Há também os programas de voluntariado, onde os funcionários participam e se sentem valorizados por contribuir e ensinar outras pessoas, que talvez não tiveram o mesmo acesso à cultura, estudo, lazer. Onde disponibiliza-se aos funcionários, terceirizados ou não, boas condições para o trabalho aconteça de maneira prazerosa e produtiva, há retorno para o acionista e para todos da organização. O ambiente muda, a empresa muda, os funcionários mudam. Cria-se um clima onde todos se ajudam, a empresa ajuda o funcionário com investimentos no seu quadro de pessoal e os funcionários retribuem esses investimentos com qualidade na produção, satisfação no trabalho, pontualidade, assiduidade, cumprimento de regras, entre outros.
Ainda conforme Debastiani e Bitarello (2005), após o período de industrialização, influenciado pelo capitalismo, a sociedade começa a perceber os prejuízos causados ao meio e ao ser humano enquanto trabalhador explorado pelas empresas. Essa consciência que surge na sociedade faz com que as empresas também mudem. Estamos em uma era onde há retorno positivo para a empresa se ela reconhecer seu colaborador como parte integrante de seu sucesso, é uma vantagem competitiva. O trabalhador passa a se sentir satisfeito se é reconhecido por seu trabalho, e não trabalha meramente por obrigação, como em épocas anteriores, onde o lucro imperava acima de tudo e de todos
Autores como Dejours (1996) afirmam que as organizações, muitas vezes, são lugares que propiciam sofrimento, tédio, desconforto, desespero, entre outros. Tais sentimentos levam o grupo de colaboradores a perderem o interesse pelo trabalho, causando desmotivação.
Já, conforme Vergara (2005), as pessoas se sentem motivados no trabalho por algo em especial, uns por aspectos econômico-financeiros e o que isso possibilita em termos de aquisição de bens e serviços, outros por aspectos de qualidade de vida no trabalho, bem-estar, reconhecimento, amizades, participação em decisões. Se existem aspectos que trazem benefícios, há a motivação no trabalho e a agregação de valor aos negócios da empresa e, consequentemente, aos acionistas.
O grupo de funcionários de uma empresa sente-se motivado quando a empresa atua socialmente. As ações de responsabilidade social e os trabalhos voltados para o desenvolvimento da comunidade de maneira sustentável, são importantes para a imagem da empresa e, consequentemente, para os funcionários, sentem-se parte integrante desse processo que auxilia outras pessoas que têm maiores necessidades sociais, além de os colaboradores preferirem trabalhar em uma empresa ligada a um projeto social do que em outra que não se orienta nesse sentido; a imagem da empresa melhora, também, para os clientes, fornecedores, parceiros e outros. Muda, também, para os concorrentes; fazer o bem, acaba sendo um fator competitivo.
b) Responsabilidade Social Externa
Quanto à Responsabilidade Social Externa, Melo Neto e Froes (1999) afirmam que o foco está na comunidade, através de ações sociais voltadas, principalmente, para as áreas de educação, saúde, assistência social e ecologia. Visa um maior retorno social, de imagem, publicitário e para os acionistas.
Ainda conforme o autor, atualmente, o empresariado deve buscar continuamente melhorar sua relação com a comunidade, visando alcançar sempre maior justiça social. Isso é necessário para a empresa manter-se competitiva nesse mercado tão acirrado. O desenvolvimento sustentável da comunidade depende do interesse de todos e não poderia ser diferente para a empresa, que usa dos recursos naturais do meio em que se insere, que interfere de uma maneira ou de outra na vida das pessoas dessa comunidade, nada mais justo, então, que contribuir para que essas pessoas que estão ao seu redor, se desenvolvam também, é necessário prover meios para que essas pessoas mais carentes de recursos e oportunidades cresçam sustentavelmente em meio a esse mercado tão capitalista e individualista.
A Responsabilidade Social Externa é composta de desenvolvimento de projetos e programas sociais, parcerias com o governo, ONGs e a sociedade civil, aplicação de recursos em programas de preservação ambiental, capacitação para o trabalho através de programas de voluntariado, entre outros. Os trabalhos nesse sentido dão oportunidades às pessoas da comunidade que, por um motivo ou outro, não tiveram acesso à educação, lazer, cultura, preparação para o trabalho, e isso é bom para todos, a população evolui socialmente, participa de programas de inclusão digital, por exemplo, fator de tanta importância hoje em dia, onde os requisitos mínimos para engajar-se em uma empresa é ter conhecimento de informática, digitação, entre outros. (MELO NETO e FROES, 1999)
Chiavenato (2004) diz que a função social das organizações está em colaborar responsavelmente com o desenvolvimento das pessoas, pois não adianta a empresa representar uma ilha em meio a um oceano de pobreza. Entre uma empresa que adota uma postura de integração social e contribuição para a sociedade e outra voltada para si própria e ignorando o resto, a tendência do consumidor é ficar com a primeira. Consumidores preferem marcas e produtos relacionadas com algum tipo de ação social, desde que tenham preço e qualidade competitivos.

”O consumidor do futuro passará a analisar não somente preço e qualidade dos produtos, mas, principalmente, o comportamento social das empresas fabricantes desses produtos”. Tachizawa (2005, pg.21).


No contexto do marketing, as ações de RSE contribuem para a retenção de clientes. Para Kotler (2000, pg. 70) a chave da retenção de clientes é a satisfação destes. Um cliente altamente satisfeito permanece fiel por mais tempo, fala favoravelmente da empresa e de seus produtos, enfim.

Fontes
-CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
-DEBASTIANI, Sandro. BITARELLO, Jucelaine. Balanço Social: um enfoque sobre sua evolução e utilização no panorama brasileiro. Novo Hamburgo: Feevale, 2005.
-DEJOURS, Christophe. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. In: VERGARA, Sylvia Constant. Gestão de pessoas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2005.
-KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. São Paulo: Prentice Hall, 2000.
-MELO NETO, Francisco Paulo de. FROES, César. Responsabilidade Social e Cidadania Empresarial: A Administração do Terceiro Setor. 2 ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999.
-TACHIZAWA, Takeshy. Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa: estratégias de negócios focadas na realidade brasileira. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2005.

Fala Drucker

"Um bom chefe faz com que homens comuns façam coisas incomuns."
(Peter Drucker)

Relações com empregados

Um gestor deve estar preparado para relacionar-se da melhor forma possível com os empregados, pois cada pessoa tem um jeito de pensar, de agir, de reagir, de posicionar-se, enfim... empregados problemáticos são muito mais comuns do que imaginamos, o difícil está em saber como lidar com determinadas situações que acabam interferindo o desempenho do colaborador, por isso os gestores de hoje em dia devem preparar-se para agir nesse contexto e, uma forma de lidar de maneira justa e positiva perante tais situações nas organizações está, entre tantas outras, o chamado ACONSELHAMENTO DE COLABORADORES, segundo Chiavenato (2008), que exige alguns cuidados, a seguir:
- Documentação de problemas de desempenho de colaboradores
- Lidar com justiça, objetividade e equidade com todos
- Focar nos problemas que afetam o desempenho profissional (conduzir a resolução do problema pessoal, porém não aprofundar-se neste)
- Oferecer assistência ao colaborador
- Estar preparado para defensividade e resistência
- Faça o colaborador enxergar o problema e juntos busquem meios para corrigi-lo, desenvolvendo um plano de ação para isso
- Situe o colaborador sobre as consequencias de o plano não ser seguido
- Monitorize e controle o progresso


Fonte - CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas - o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

17 de fev de 2010

Teoria X e Teoria Y



Segundo Chiavenatto (2008, pg. 441), a Teoria X é uma abordagem tradicional de administração, enquanto a Teoria Y é uma abordagem moderna. A primeira envolve convicções negativas a respeito das pessoas e influencia a administração para características autocráticas e impositivas, isso leva a uma maior necessidade de controle e monitoração dos funcionários, pois estes sentem-se inseguros, desmotivados, etc. Já a Teoria Y, a abordagem moderna, envolve convicções positivas que influenciam a administração para um sentido democrático e consultivo, onde há o respeito pelas pessoas e suas diferenças, tornando um clima agradável para se trabalhar.

* CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas - o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

POLÍTICA DE PORTAS ABERTAS

A Política de Portas Abertas é praticada em muitas organizações. Esta prática nada mais é do que proporcionar abertura para que os empregados acessem os seus supervisores, dirigentes ou até o Presidente da empresa, para levar um problema, conversar, trocar idéias, enfim. A Política de Portas Abertas é contemplada no Processo Manter Pessoas da GESTÃO DE PESSOAS, e pode ter seu nome modificado para Programa Portas Abertas ou somente Portas Abertas, o importante é que o seu objetivo é o mesmo, criar um ambiente de transparência e abertura na organização, esse clima acaba deixando o funcionário mais seguro e integrado à empresa, que por sua vez irá retribuir com produtividade e, assim, todos saem ganhando - Empresa, Funcionário, Direção.

14 de fev de 2010

Estudar para concursos públicos acaba sendo uma revisão e complementação da Faculdade!


A rotina dos concurseiros de plantão é árdua. Estudar para concursos públicos é uma tarefa difícil, muitas coisas ficam em planos secundários (lazer, hobbies, diversão, família, etc.) quando está se preparando para um concurso. Estudar para cargos específicos, como é o meu caso, que estudo para cargos de administrador, é muito interessante, pois acabei descobrindo que essa preparação para as seleções públicas acaba sendo uma extensão do meu curso de graduação, chega a ser até um complemento, pois alguns conteúdos de administração solicitados nas provas passaram batido na Faculdade, muitas vezes, e por "n" motivos: cansaço físico e mental nas aulas após um dia árduo de trabalho, falta de tempo para estudar, aulas superficiais ou desmotivantes, enfim... é fato que, mesmo depois de formado, você precisa e deve buscar mais e mais conhecimento, pois é impossível você aprender TUDO durante o curso. E é aí que se encaixa o título deste texto - os estudos preparatórios para concursos públicos, principalmente no que toca aos conhecimentos específicos, é uma ótima oportunidade para o aperfeiçoamento do conhecimento, o relembrar de tópicos já não tão presentes na memória, obter uma visão mais ampla sobre determinado assunto, e até mesmo ter mais conhecimento, obter informações às quais você não teve acesso durante o curso. Esse estudar contínuo é uma porta aberta para você se apaixonar mais e mais pelo conteúdo da sua formação acadêmica, pela sua carreira, e isso é muito gratificante.

11 de fev de 2010

********Benchmarking!!!



Segundo Chiavenato (2003), o benchmarking visa desenvolver a habilidade dos administradores de visualizar no mercado as melhores práticas administrativas das empresas consideradas excelentes (benchmarks) em certos aspectos, comparar as mesmas práticas vigentes na empresa focalizada, avaliar a situação e identificar as oportunidades de mudanças dentro da organização. A meta é definir objetivos de gestão e legitimá-los por meio de comparações externas. O benchmarking exige 3 objetivos que a empresa precisa definir --- Avaliar os pontos fortes e fracos de suas operações, identificar os concorrentes líderes no mercado e comparar os pontos fortes e fracos destes com os da empresa foco e, por último, incorporar os pontos fortes dos concorrentes.
É essencial que no contexto acirrado de competição no atual mercado, as empresas evoluam seus processos, visando à excelência. Para tanto, existem inúmeras ferramentas e métodos para a implementação de melhorias, uma delas é o benchmarking. Esse processo deve ser contínuo e sistemático, procurando sempre o que melhor se adequa à realidade da empresa, e não enxerguemos essa ferramenta como um simples copiar estratégico, enxerguemos sim uma ferramenta valiosíssima que auxilia as empresas a acompanharem a evolução do mercado, a aplicação de novas e eficazes maneiras de fazer a empresa. É essa busca pela melhoria contínua no ambiente empresarial que diferenciará as empresas no futuro, lembrando que antigos hábitos que dão certo devem ser conservados, porém sempre aprimorados.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

27 de jan de 2010

O dever de manter sigilo sobre o que sabemos em função da atividade profissional.

Conforme consta no CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO ADMINISTRADOR (Aprovado pela Resolução Normativa CFA nº 353, de 9 de abril de 2008) - Capitulo I, Artigo 1°, que trata dos deveres do administrador:"II - manter sigilo sobre tudo o que souber em função de sua atividade profissional", será que os profissionais dessa área estão cientes da importância desse item constante no CEPA? Espero que sim, afinal, um Código de Ética existe para nortear as atividades profissionais, é ele que guia os atos do gestor, indivíduo este que trabalha pelo bem da instituição a que serve, que prima pelo correto, pelo ético, que cumpre um papel essencial de orientação nos processos de uma organização.
No meio empresarial, os gestores comumente sabem antes de seus subordinados de fatos ocorridos ou que ocorrerão na empresa, informações que não devem ser divulgadas antecipadamente, para fins de não causar ansiedades precoces e, assim, prejudicar o andamento da organização. O que aconteceria se funcionários ficassem sabendo que no final do mês ocorreriam 50 demissões? Com certeza um clima de mal estar e preocupação tomaria conta da empresa, prejudicando a produtividade e desencadeando confusões desnecessárias. É da mesma forma inadmissível que um gestor financeiro converse a respeito da situação em que sua empresa se encontra, em um momento de happy hour, alguém presente no grupo poderá ser um contato para uma empresa concorrente, por exemplo, prejudicando, assim, o planejamento e até o futuro da organização. Os profissionais devem manter o sigilo de informações profissionais ou que venham a saber por conta de sua atividade, tanto pelo bem da empresa, quanto de sua própria imagem, nenhuma empresa gostaria de conter em seu quadro funcional alguém que fica comentando assuntos de trabalho, às vezes, sigilosos. Entre contratar alguém indiscreto e de fala aberta e alguém discreto e comedido, quem você acha que um grande empresário irá escolher? A segunda opção é claro. Conversas fora do ambiente de trabalho sobre assuntos profissionais, só são admitidas em termos gerais, por exemplo, se ouvimos uma conversa assim: - "É lógico que precisamos inovar em nossos produtos, temos que estar sempre em busca da inovação, de melhoria para o produto de nossa empresa, melhorar os produtos para os clientes é nosso dever, e devemos buscar sempre a excelência". Essa conversa se dá sobre algo que envolve a empresa mas não divulga um fato específico, algo que vá ocorrer na semana que vem, por exemplo, o lançamento de um novo produto, que um profissional saiba mas a empresa ainda não divulgou.
Além de informações sobre a empresa ou produtos e serviços, há também assuntos pessoais de colegas que ficamos sabendo em função da atividade profissional e, não seria bem visto se, por exemplo, em uma tarde de caminhada no parque, alguém ouve uma conversa que trata maldosamente de um erro de um funcionário de uma empresa, ou se no churrasco do domingo o cunhado acha graça e comenta sobre um fato da vida pessoal de um colega de trabalho, o narrador, que acaba por ser anti-ético, ri e fala em alto e bom tom das intimidades de outrem, nada impede que alguém por perto seja conhecido do personagem da história, e tudo isso pode não acabar bem e até afetar as relações no trabalho, prejudicando, consequentemente, a organização.
Por isso, acho muito bem lembrado esse item do CEPA, que trata desse dever que além de ser ético profissionalmente, é fruto de boa educação, pois todos temos que ter o discernimento do que é correto ou não, do que é viável falar e do que não deve ser falado, uma atitude mal pensada pode se tornar em algo incorrigível.

26 de jan de 2010

O uso dos chats online em vez do telemarketing



Na edição 138 de Dezembro 2009 da Revista "você s/a" ao ler sobre tendências para 2010, chamou-me a atenção o fato de que há um considerável aumento dos atendimentos por chats online nos sites das empresas, para utilização de seus clientes, em detrimento do usual telemarketing, que é o atendimento pelo telefone. A utilização dos chats online é uma tendência que facilita tanto para o cliente, quanto para a empresa.
Para os clientes, essa ferramenta virtual é muito mais prática e cômoda, diminuindo consideravelmente o stress causado pela espera no atendimento, entre outros fatores, nos atendimentos por telefone - o telemarketing. O chat online possibilita uma conversa rápida e dinâmica, com interação entre cliente e empresa.
Para a empresa é uma praticidade, também em função da redução de custos. No atendimento online, o nível de stress do funcionário diminui, pois para este basta digitar e orientar o cliente por meio do teclado e da tela do computador, além disso, ele pode trabalhar em qualquer lugar, basta ter a sua disposição um computador ligado à internet.
Ao mesmo tempo, acredito que as empresas precisam ainda aperfeiçoar-se na utilização essa ferramenta, por experiência própria, já tentei usar o chat online no site de uma empresa, porém o imenso cadastro que foi preciso preencher antes de poder utilizar o chat, me desmotivou. É claro que a empresa tem que precaver-se contra intrusos mal intencionados, pessoas que não são clientes e que entram no chat somente por brincadeira, mas, para isso, basta a empresa certificar-se de que a pessoa é cliente de uma maneira mais facilitada para o usuário, apenas com a digitação do código do usuário e do CPF, ou mais uma ou duas solicitações, somente para confirmar a identidade do cliente, e não um cadastro com mais de 30 itens de preenchimento, o que torna exaustiva e sacrificante a intenção de uso da ferramenta. Se for assim a condição para uso desses chats, o cliente vai preferir esperar no telefone por maior segurança.

Livros!!


--- QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO --- Do autor Dr Spencer Johnson -- É um livro espetacular que abre horizontes no que diz respeito estar preparado para a mudança!! Livro que mostra de maneira divertida que tudo muda a todo o momento e que devemos nos adaptar às novas situações, sejam elas na empresa, na vida, enfim.


Um livro interessante que li é --- O MONGE E O EXECUTIVO --- Gostei muito, concordo que para se tornar um lider, primeiramente temos que servir, só assim seremos merecedores da confiança e respeito das pessoas ao nosso redor!!

Quer dar uma olhada nos vídeos desses clássicos? Dá uma olhada neles no final da página no blog!! Divirtam-se!

Dica virtual!!!

Nossa!! Esse jogo é uma super dica hein!! www.canalrh.com.br/lider2010
Aí você testa seus conhecimentos e habilidades de liderança!! E de quebra, ainda se diverte!! Acessa lá!! Abraços!