Uma frase...

Sessenta por cento de todos os problemas administrativos resultam de ineficácia na comunicação.

Peter Drucker


27 de jan de 2010

O dever de manter sigilo sobre o que sabemos em função da atividade profissional.

Conforme consta no CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO ADMINISTRADOR (Aprovado pela Resolução Normativa CFA nº 353, de 9 de abril de 2008) - Capitulo I, Artigo 1°, que trata dos deveres do administrador:"II - manter sigilo sobre tudo o que souber em função de sua atividade profissional", será que os profissionais dessa área estão cientes da importância desse item constante no CEPA? Espero que sim, afinal, um Código de Ética existe para nortear as atividades profissionais, é ele que guia os atos do gestor, indivíduo este que trabalha pelo bem da instituição a que serve, que prima pelo correto, pelo ético, que cumpre um papel essencial de orientação nos processos de uma organização.
No meio empresarial, os gestores comumente sabem antes de seus subordinados de fatos ocorridos ou que ocorrerão na empresa, informações que não devem ser divulgadas antecipadamente, para fins de não causar ansiedades precoces e, assim, prejudicar o andamento da organização. O que aconteceria se funcionários ficassem sabendo que no final do mês ocorreriam 50 demissões? Com certeza um clima de mal estar e preocupação tomaria conta da empresa, prejudicando a produtividade e desencadeando confusões desnecessárias. É da mesma forma inadmissível que um gestor financeiro converse a respeito da situação em que sua empresa se encontra, em um momento de happy hour, alguém presente no grupo poderá ser um contato para uma empresa concorrente, por exemplo, prejudicando, assim, o planejamento e até o futuro da organização. Os profissionais devem manter o sigilo de informações profissionais ou que venham a saber por conta de sua atividade, tanto pelo bem da empresa, quanto de sua própria imagem, nenhuma empresa gostaria de conter em seu quadro funcional alguém que fica comentando assuntos de trabalho, às vezes, sigilosos. Entre contratar alguém indiscreto e de fala aberta e alguém discreto e comedido, quem você acha que um grande empresário irá escolher? A segunda opção é claro. Conversas fora do ambiente de trabalho sobre assuntos profissionais, só são admitidas em termos gerais, por exemplo, se ouvimos uma conversa assim: - "É lógico que precisamos inovar em nossos produtos, temos que estar sempre em busca da inovação, de melhoria para o produto de nossa empresa, melhorar os produtos para os clientes é nosso dever, e devemos buscar sempre a excelência". Essa conversa se dá sobre algo que envolve a empresa mas não divulga um fato específico, algo que vá ocorrer na semana que vem, por exemplo, o lançamento de um novo produto, que um profissional saiba mas a empresa ainda não divulgou.
Além de informações sobre a empresa ou produtos e serviços, há também assuntos pessoais de colegas que ficamos sabendo em função da atividade profissional e, não seria bem visto se, por exemplo, em uma tarde de caminhada no parque, alguém ouve uma conversa que trata maldosamente de um erro de um funcionário de uma empresa, ou se no churrasco do domingo o cunhado acha graça e comenta sobre um fato da vida pessoal de um colega de trabalho, o narrador, que acaba por ser anti-ético, ri e fala em alto e bom tom das intimidades de outrem, nada impede que alguém por perto seja conhecido do personagem da história, e tudo isso pode não acabar bem e até afetar as relações no trabalho, prejudicando, consequentemente, a organização.
Por isso, acho muito bem lembrado esse item do CEPA, que trata desse dever que além de ser ético profissionalmente, é fruto de boa educação, pois todos temos que ter o discernimento do que é correto ou não, do que é viável falar e do que não deve ser falado, uma atitude mal pensada pode se tornar em algo incorrigível.

26 de jan de 2010

O uso dos chats online em vez do telemarketing



Na edição 138 de Dezembro 2009 da Revista "você s/a" ao ler sobre tendências para 2010, chamou-me a atenção o fato de que há um considerável aumento dos atendimentos por chats online nos sites das empresas, para utilização de seus clientes, em detrimento do usual telemarketing, que é o atendimento pelo telefone. A utilização dos chats online é uma tendência que facilita tanto para o cliente, quanto para a empresa.
Para os clientes, essa ferramenta virtual é muito mais prática e cômoda, diminuindo consideravelmente o stress causado pela espera no atendimento, entre outros fatores, nos atendimentos por telefone - o telemarketing. O chat online possibilita uma conversa rápida e dinâmica, com interação entre cliente e empresa.
Para a empresa é uma praticidade, também em função da redução de custos. No atendimento online, o nível de stress do funcionário diminui, pois para este basta digitar e orientar o cliente por meio do teclado e da tela do computador, além disso, ele pode trabalhar em qualquer lugar, basta ter a sua disposição um computador ligado à internet.
Ao mesmo tempo, acredito que as empresas precisam ainda aperfeiçoar-se na utilização essa ferramenta, por experiência própria, já tentei usar o chat online no site de uma empresa, porém o imenso cadastro que foi preciso preencher antes de poder utilizar o chat, me desmotivou. É claro que a empresa tem que precaver-se contra intrusos mal intencionados, pessoas que não são clientes e que entram no chat somente por brincadeira, mas, para isso, basta a empresa certificar-se de que a pessoa é cliente de uma maneira mais facilitada para o usuário, apenas com a digitação do código do usuário e do CPF, ou mais uma ou duas solicitações, somente para confirmar a identidade do cliente, e não um cadastro com mais de 30 itens de preenchimento, o que torna exaustiva e sacrificante a intenção de uso da ferramenta. Se for assim a condição para uso desses chats, o cliente vai preferir esperar no telefone por maior segurança.

Livros!!


--- QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO --- Do autor Dr Spencer Johnson -- É um livro espetacular que abre horizontes no que diz respeito estar preparado para a mudança!! Livro que mostra de maneira divertida que tudo muda a todo o momento e que devemos nos adaptar às novas situações, sejam elas na empresa, na vida, enfim.


Um livro interessante que li é --- O MONGE E O EXECUTIVO --- Gostei muito, concordo que para se tornar um lider, primeiramente temos que servir, só assim seremos merecedores da confiança e respeito das pessoas ao nosso redor!!

Quer dar uma olhada nos vídeos desses clássicos? Dá uma olhada neles no final da página no blog!! Divirtam-se!

Dica virtual!!!

Nossa!! Esse jogo é uma super dica hein!! www.canalrh.com.br/lider2010
Aí você testa seus conhecimentos e habilidades de liderança!! E de quebra, ainda se diverte!! Acessa lá!! Abraços!